Carta às famílias que moram em zonas com ecopontos tristes (isto é, pouco utilizados)

Olá.

Perto de sua casa há um ecoponto. Um ecoponto que sente um enorme vazio.

Sabe porquê? Porque todos os dias, vê uma grande quantidade de materiais, que poderiam ser separados e reciclados, acabarem - todos misturados - no contentor do lixo indiferenciado. Materiais que, inevitavelmente, serão depositados em aterro onde estarão muitos e muitos anos para se decompor, sem qualquer hipótese de serem valorizados.

Um ecoponto vazio não tem utilidade nenhuma, e só ocupa espaço.


Por isso, se nada mudar, a Valorsul ver-se-á obrigada a retirá-lo de perto de si e a colocá-lo num outro local onde seja mais utilizado.


O que pode fazer para que isto não aconteça? Muito simples: faça uma visita por semana ao seu ecoponto e leve-lhe um quilo de material separado. Pode ser plástico, metal, pacotes de bebida, vidro, cartão ou papel. E sugira aos seus vizinhos que façam o mesmo.

Se todos depositarem um quilo, o seu ecoponto ficará onde está e o nosso país mais próximo de cumprir as metas ambientais.