Deposição em Aterro

Sistema de drenagem e tratamento de lixiviados

ASO

Drenagem de Lixiviados

A drenagem dos lixiviados produzidos no interior das células do aterro é efetuada através de drenos que os conduzem por gravidade à Estação de Tratamento de Águas Lixiviantes.

Os drenos são constituídos por uma tubagem em PEAD com diâmetro 225 mm, ranhurada e instalada a meio da camada drenante do fundo da célula.

A Estação de Tratamento de Águas Lixiviantes (ETAL) recebe os lixiviados provenientes do aterro, as águas residuais domésticas e o efluente proveniente de separadores de hidrocarbonetos instalados, respetivamente, na oficina e na plataforma de lavagem de viaturas e ecoparque.

Tratamento de Lixiviados

A ETAL do Aterro Sanitário do Oeste (ASO) consiste numa combinação de um tratamento biológico com um tratamento físico-químico, sendo a linha de tratamento da instalação constituída por:

  • 2 Lagoas de regularização/homogeneização;
  • Tratamento biológico por uma lagoa de arejamento;
  • Tratamento físico-químico por coagulação-floculação com adição de policloreto de alumínio, hidróxido de sódio e de polielectrólito (fase líquida);
  • Decantação primária;
  • Decantação secundária com recirculação de lamas ao tratamento biológico;
  • Descarga do efluente pré-tratado para o emissário da Águas do Oeste

As lamas produzidas (primárias e/ou primárias) são encaminhadas Unidade de tratamento de lamas composta por um silo e sistema de desidratação com adição de polieletrólito (as escorrências do tratamento da desidratação retornam à lagoa do tratamento biológico).